INDICAÇÃO DE LEITURA (parte 10): Guido Van Genechten

Facebooktwittergoogle_plusmail

09

Faz um tempo que não colocávamos indicações de leituras novas por aqui (aliás, caso queira ver as indicações antigas, clique aqui.) E iniciaremos o ano de 2016 com uma indicação que pouco a pouco fomos percebendo o profundo valor que há. Trata-se da coleção O que é, o que é?, com os dinâmicos “É um caracol?”, “É uma rã?”, “É um ratinho?” e “É um gato?” de Guido Van Genechten, publicado no Brasil pela Gaudi Editorial.

LIVRO: Coleção “O que é, o que é?”

EDITORA: Gaudi Editorial

AUTOR: Guido Van Genechten

PORQUE LER?
Estamos acostumados a crer que o hábito da leitura está relacionado com as palavras, mas não é bem assim, afinal, toda percepção visual é uma leitura. Em realidade nossas primeiras leituras são as imagens captadas por nossos olhinhos de bebê. Estes livros de Genechten não possuem texto escrito, não possuem palavras, apenas ilustrações e, uma vez que entendemos que leitura é toda percepção visual, podemos afirmar sem medo que estes livros são ótimas leituras.

A dinâmica do livro é apresentar um animal ilustrado, mas uma pequena parte dele está em uma outra página, com dobra especial, e ao desdobrarmos vemos que aquela pequena parte da ilustração do animal torna-se outro animal. Isso é muito legal, pois atua em diferentes faculdades mentais, o pai, mãe, vô, vó, professor, tutor, podem ler estimulando a antecipação, isto é, tentar estimular a criança leitora a descobrir qual animal aquela partezinha irá se transformar. Isso acaba entrando naquela antiga pergunta, falam as partes pelo todo?

Além de estimular a imaginação visual, criando esse ambiente em que a criança descubra a imagem que irá aparecer diante dela o livro permite com que o leitor note que um mesmo grafismo pode conter em diferentes desenhos. A mesma mancha de tinta verde que é a perninha de uma rã se transforma no casco de uma tartaruga, depois no corpo de uma lagarta, depois na ponta do rabo de um dinossauro e assim por diante.

Vale muito para a faixa etária pré-alfabetização, mas também para os pequenos nas fases iniciais da alfabetização, devido a evidente relação com imagens figurativas ilustradas. Como também funciona para as crianças já alfabetizadas, para que elas percebam que, ainda que não contenha texto escrito, as ilustrações constroem histórias diversas.

09b

Augusto e Elaine fundaram a Cia Arte Negus e acreditam no riso como instrumento de transformação social.

Posts Relacionados