INDICAÇÃO DE LIVRO PARA O DIA DAS CRIANÇAS

Facebooktwittergoogle_plusmail

36E hoje é o dia, o dia em que por meio de um decreto federal no início do século XX foi institucionalizado O DIA DAS CRIANÇAS. Sabe, tem várias maneiras de se comemorar essa data simbólica, uma delas é cedendo aos presentes, mas outra é levando as crianças ao parque, brincando com elas, gastando energia pulando corda, brincando de pega-pega, esconde-esconde, depois recompor as energias realizando um lanche (piquenique, café da tarde com bolo, e por aí vai…), lendo livros e contando histórias. Não há exatamente um modo correto, e todos sabemos disso, mas cremos que, ao evitar o excesso de presentes e investir em uma presença mais próxima dos corações e mentes de nossos filhos, netos e sobrinhos; podemos nos ater a uma simbologia mais forte desse dia, que é nos vincular a nosso imaginário infantil.

Bom, como indicação de leitura para esse dia vai o belo SETE HISTÓRIAS PARA CONTAR da Adriana Falcão e com lindas ilustrações da Ana Terra. Abaixo inserimos algumas breves considerações sobre essa obra.

36b

LIVRO: “SETE HISTÓRIAS PARA CONTAR”

EDITORA: Ed. Salamandra

AUTOR: Adriana Falcão | Ilustrações: Ana Terra

PORQUE LER?
Bom, antes de nada o livro cativa pelo modo divertido que a autora escolheu para construir seu texto. Ela desenvolveu a difícil tarefa de deixar o texto simples, muito fácil par ser lido por crianças de diferentes faixas etárias, mas cheio de emoção e conceitos profundos. Em nossa opinião, o ponto forte do livro é justamente isso, o conceito. Ele possuí sete histórias que nos faz pensar, histórias que discutem temas complexos, mas de modo extremamente encantador, como o caso da história que é relacionada com a ilustração acima, A MENINA QUE SÓ PENSAVA EM DAQUI A POUCO. Essa história percorre um assunto extremamente delicado, a ansiedade que percorre os corações de crianças e adultos, fazendo com que nossa mente não esteja no tempo presente, mas sempre preocupada com o que virá depois. A solução que a autora insere em seu texto é magnífica, é o tipo de livro que mesmo depois de fechá-lo, a mente não se desconecta do texto.

Outro ponto forte é, como em várias outras dicas que colocamos aqui no site, o trabalho editorial do livro, com lindas ilustrações de Ana Terra, que possui um traço divertido e com uma estética que mescla a ideia de ferramentas simples, como lápis de cor, com uma pitada ou outra de colagens (fazendo alusão ao ‘patchwork’).

Enfim, fica aqui a dica, para embalar alguns momentos nesse dia das crianças.

Abraços garobaba… ah! Se quiserem receber as dicas de livros, vídeos e outras programações culturais em seu e-mail, cadastre-se abaixo:

 

Augusto e Elaine fundaram a Cia Arte Negus e acreditam no riso como instrumento de transformação social.

Posts Relacionados