QUANTA HONRARIA – LUCIANA de GRACILIANO RAMOS

Facebooktwittergoogle_plusmail

07

Há mais de quinze anos atrás peguei pela primeira vez um exemplar de VIDAS SECAS para ler. Lembro que peguei o livro na biblioteca da escolha onde terminei o ensino médio, e ao ler pegava me sentindo tonto com aquela agonia dos castigados. Li e me transportei também para aquela dura realidade. Anos depois fui li outro livro de Graciliano Ramos, A TERRA DOS MENINOS PELADOS, Elaine comprou e me instigou a ler. Adoramos! … Como pode o mesmo autor passar com tanta poesia duas sensações tão diferentes? Atingir emoções tão diversas?

Não sabíamos, como poderíamos saber? Mas 2015 uma surpresa iria nos oferecer. Além das encantadoras experiências que estamos tendo em criar nosso filho, o Lucas, o ano de 2015 nos presenteou com a honraria de sermos convidados por Ricardo Filho, autor de “Se eu não me chamasse Raimundo”, entre outros diversos livros infantis e neto de Graciliano, para fazer a narração do livro LUCIANA, publicado pela Galerinha, da Record. Realizando tanto uma apresentação no lançamento em Maceió – AL e em São Paulo – SP.

Caraca! … Nós, pequenos artistas, leitores humildes de Graciliano, estarmos envoltos nessa pequena grande aventura de narrar um livro com seu texto! Que maravilha!

Assim, em todos os encontros com Graciliano, tivemos esse misto de emoções tocantes no estômago.

unnamed

 

Augusto e Elaine fundaram a Cia Arte Negus e acreditam no riso como instrumento de transformação social.

Posts Relacionados